Get Adobe Flash player

BAB85F23-DF0A-447A-9343-B4CF57843255 gratidao

O problema fundamental dos tempos atuais é o do AMOR. O amor entre seres humanos; o amor do ser humano para com os demais seres da natureza.

Embora esse problema tenha sido um dos mais relevantes em todos os tempos, agora ele se torna essencial, porque como diz uma frase muito usada: “os tempos chegaram”. Estamos no fim de uma época e, conseqüentemente no início de outra.

Em outras ocasiões semelhantes, mas não idênticas, o ser humano também teve que enfrentar problemas fundamentais, próprios de períodos de transição e peculiares aos seus respectivos estágios de evolução. As tradições, os documentos históricos, a Bíblia e a Filosofia que estudamos citam vários problemas que se apresentaram diante do ser humano nas diferentes Épocas pelas quais a humanidade passou: as Épocas Polar, Hiperbórea, Lemúrica, Atlante e Ana. Em todas elas uma prática, um exercício foi dado ao ser humano para torná-lo capaz de passar de um ciclo a outro sem frustrar o processo evolutivo.

Também é dado à humanidade, nesses períodos de transição, um Guia, um EXEMPLO, que evidentemente encarna o princípio que o ser humano terá que assimilar para seguir adiante. CRISTO — o Senhor do Amor — é o Exemplo da nossa época atual.

Cristo veio nos trazer a superação da Lei e do sentimento do Espírito de Raça da antiga Dispensação (Idade de Peixes) através da prática do Serviço amoroso à humanidade, sem restrições, o que deverá prevalecer na Nova Dispensação (Idade de Aquário).

Se, entretanto, precisamos de exemplos mais próximos à nossa condizente condição humana, podemos observar a dedicação de Max Heindel — para nós o Exemplo do Aspirante Rosacruz. A prova a que ele foi submetido para tornar-se Mensageiro da Ordem não foi de conhecimento ou capacidade didática, mas de amor e compaixão, que ele demonstrou ao negar-se em guardar para si os ensinamentos.

Observemos ainda o nosso Ritual do Serviço do Templo, dado a nós pelos Irmãos Maiores da Ordem Rosacruz. Ele é uma apologia ao Amor e à Compaixão. Não há nenhum momento sequer de exaltação ao nosso eu pessoal ou à aquisição de conhecimentos.

 M.L.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar