Get Adobe Flash player

 

Advertência sobre o que se denomina como desdobramento espiritual*

 

 

 

*Esclarecimento prévio sobre o termo: não existe desdobramento espiritual, pois o Espírito não se “desdobra”. O que ocorre, na verdade, é a capacidade de funcionar, conscientemente, em outro Corpo mais sutil, mormente, o Corpo-Alma. O termo desdobramento pode ser utilizado se pensarmos em desdobramento de um Corpo mais sútil que o Corpo Denso, nos planos espirituais. Nunca desdobramento do Espírito. Ainda que muitos acreditem que quando se enxerga o Corpo Vital fora do Corpo Físico, está se enxergando o Espírito, isso não é correto.

 

 

 

Aqueles que despertaram interesse espiritual anseiam por encontrar a verdade. Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará (Joa 8; 32), disse o Cristo. E a verdade possui uma única finalidade: reduzir a pluralidade fenomenal, estado refratário em que estamos presos, à unidade. Enquanto a natureza decaída do ser humano imperar (fruto da Queda), sempre haverá divergências, choque de opiniões, separatividades e fricções, sendo que seus frutos não revelarão a verdade. Por outro lado, quando aprendemos a responder a Natureza Divina que há em nós (a Virgem Imaculada), aprenderemos a fundir ou con-versar (versar-juntos). Neste estado divino, tudo aquilo que se mostra como oposto e separado, pode ser integrado. É o estado em que ultrapassamos a nós mesmos e atingimos o sobrenatural; a verdade, então, se estabelece; o inimigo se torna amigo; a doença se transforma em saúde; a luz e as trevas se mostram cooperativas para fazer o ser humano chegar num fim. Este é o segredo que permite o sútil (o espírito) penetrar naquilo que é duro (cristalizado), e promover o milagre da renovação.

 

O motivo de abordamos a respeito do desdobramento se deu pelo fato de muitas pessoas que chegam à sede da Fraternidade Rosacruz, em São Paulo, relatam que tentam realizar o "desdobramento espiritual" e querem informações sobre isso. Em verdade, grande parte das pessoas que chegam a nossa sede, desejam saber sobre “dons espirituais” (tais como clarividência, desdobramento, contatos com energias suprafísicas e Iniciação). De fato, a Filosofia Rosacruz possui grande conhecimento sobre estes assuntos e é da responsabilidade dos estudantes fornecerem o conhecimento correto sobre isso. Deste modo, cada um poderá estabelecer por si só, aquilo que considera apropriado para sua saúde e desenvolvimento espiritual.

 

Todas as noites, todos nós saímos do nosso Corpo Físico (o Corpo Denso) a fim de deixarmos os dois Éteres Inferiores do Corpo Vital, restaurá-lo. Partimos, então, com o restante dos nossos veículos, quais sejam: os outros dois Éteres Superiores do Corpo Vital, o Corpo de Desejos e a Mente. A inconsciência desse fato, para muitos, é imprescindível para que o trabalho de restauro seja bem feito. Para outros, a capacidade de saber que está consciente estando “fora” do Corpo Físico, durante a noite, é um fato possível. Por outro lado muitas pessoas sinceras que visam diminuir as dores do mundo, durante a noite, após o trabalho de restauro de seu Corpos Físicos, utilizam o restante do tempo para auxiliar nos processos de cura, mesmo não tendo consciência disso (é o que, na Filosofia Rosacruz, se conceitua como Auxiliares Invisíveis Inconscientes).

 

Neste ponto, queremos realizar uma importante advertência: saber que se pode sair do Corpo Físico com os veículos superiores, não significa estar pronto para isso. Estudar esse assunto pela clarividência passiva (ou mediunidade) pode dar esta conclusão equivocada/precipitada. É preciso compreender que se uma pessoa realiza atividades fora de seu Corpo Físico, durante a noite de modo inconsciente, não significa que ela tenha estrutura para funcionar conscientemente nos planos internos.

 

Este equívoco por si mesmo, é inofensivo. O problema ocorre quando a pessoa acredita, portanto, que basta executar certos exercícios ou seguir algumas instruções, que estará pronta para tomar consciência e, até mesmo, se preparar para sair do Corpo na hora que quiser. É óbvio que há meios seguros para isso. O problema está na crença de que todos possuem estrutura e treinamento espiritual, suficientes para funcionar conscientemente nos Mundos Internos. Ora, a saída consciente do Corpo Físico prematuramente pode ser altamente prejudicial para a saúde mental e espiritual da pessoa. Uma das provas disso pode ser obtida pela conversa com quem faz desdobramentos involuntários e se deparam com seres que lhes eram invisíveis e que frequentam sua casa! Sem saberem o que fazer, entram em estado de medo, confusão e inquietação que geram grandes perturbações, vistas também depois, durante o estado de vigília.

 

Normalmente, duas perguntas são feitas pelos interessados em desdobramento :

 

1 - Por que a Filosofia Rosacruz instrui que quando saímos do Corpo Físico inconsciente e involuntariamente, não estão arriscadas a terem problemas espirituais (como obsessão) e mentais (como ansiedades, oscilações de humor e até mesmo sintomas psicóticos e prejuízos cognitivos)?

 

2 - Por que esta mesma Filosofia afirma que os métodos dados pelas pessoas que se dizem dominar esta ciência, ou pelas pseudo-escolas de ocultismo, não são seguros e podem promover grandes problemas espirituais/físicos em longo prazo?

 

Primeiramente, é preciso saber sobre a constituição do ser humano, que é Espírito, Alma e Corpo (1Ts 5.23). Enquanto Espíritos, somos a Imagem de Deus, que é Pai, Filho e Espírito Santo. Em nós, a imagem do Pai (o poder da Vontade) é conhecida na Filosofia Rosacruz como o Espírito Divino. A Imagem do Filho (Amor-Sabedoria) em nós é conhecida como Espírito de Vida. A Imagem do Espírito Santo (atividade e fecundação) é o Espírito Humano. Este Tríplice Espírito constitui o nosso Espírito Uno (o Ego).

 

Cada um destes Aspectos Divinos produziu uma “sombra”, ou Corpos, para que pudessem extrair todo o poder (quinta-essência) que os Mundos feitos por nosso Criador têm a nos oferecer. A contraparte do Espírito Divino é o Corpo Físico (este que é visto com os olhos físicos); a contraparte do Espírito de Vida é o Corpo Vital ou Etéreo; e a contraparte do Espírito Humano é o Corpo de Desejos. Por fim, temos um veículo Mental que permite a união entre Espírito e Corpo.

 

Até o momento, definimos dois aspectos do ser humano completo: Espírito e Corpo, que cada um deles é tríplice. Falta definirmos o conceito de Alma. Vejamos: aquilo que o Espírito Divino extrai de experiências verdadeiras (quintessência) de sua constraparte, o Corpo Físico, chama-se Alma Consciente. Ela é alimentada pela quinta essência de toda ação reta frente àquilo que é vivenciado. Quando se deixa de ter retidão, do ponto de vista do Espírito, agimos desequilibradamente e quebramos o ritmo divino que pulsa dentro de nós. Deixamos de funcionar em consonância com a nossa Virgindade Interior, que busca tudo aquilo que é correto, justo, obediente, parcimônio e casto. Aquilo que o Espírito de Vida extrai de experiências verdadeiras (quintessência) de sua contraparte, o Corpo Vital ou Etéreo, chama-se Alma Intelectual. Ela é alimentada pela quinta essência quando utilizamos a memória, no presente, para separar aquilo que é ilusório ou excessivo, daquilo que é verdadeiro e suficiente. Quando não utilizamos aquilo que já sabemos, principalmente no campo moral, reduzimos nosso espírito à impotência, pois é como se ele não tivesse poder ou experiência alguma e se torna ao estado inicial da Queda. Aquilo que o Espírito humano extrai de experiências verdadeiras (quintessência) de sua contraparte , o Corpo de Desejos, chama-se Alma Emocional. Ela é alimentada pela quinta essência de todo sentimento, emoção e/ou desejo elevado que somos capazes de cultivar e nos por em contato. Sim, sentimentos, emoções e desejos destes tipos devem ser cultivados voluntariamente, todos os dias. Mesmo que pareça estranho para a mente superficial, que acredita ser impossível controlar e produzir os próprios sentimentos, emoções e desejos, é possível sim, fazer tal façanha. Isso se dá por meio de orações, gratidão, devoção, meditação sobre coisas divinas e o sentimento, emoção e desejo que os estudos de assuntos elevados (Sagradas Escrituras) geram. O não cultivo desses sentimentos, emoções e/ou desejos ou a negação ignorante do controle emocional em vidas passadas tem como efeito, vários dos transtornos de humor vistos atualmente. Um quadro psiquiátrico dificílimo de gerenciar, que não é de humor, é o transtorno de personalidade borderline ou limítrofe. Este transtorno é emocionalmente instável em que a pessoa tem a tendência marcante a agir impulsivamente, juntamente com acentuada instabilidade afetiva. Há intensa sensação de medo de abandono, mesclado com intensa raiva e irritabilidade.

 

Quando falamos de estrutura espiritual, falamos de um Corpo Espiritual que nos permite funcionar conscientemente nos planos internos. Três são os requisitos para esta conquista: acúmulo de Poder Espiritual; Intenção; e conhecimento técnico que permite a separação correta dos dois Éteres Superiores do Corpo Vital dos seus dois Éteres Inferiores. Vamos destrinchar cada um desses agora.

 

Conforme vamos acumulando as três Almas, que é feito pelo trabalho do Espírito sobre o Corpo (transmutação da matéria em Espírito), mais compreensão daquilo que constitui a vida, do propósito que nos liga as pessoas e ao contexto que estamos, é conquistado. Com efeito, os nossos poderes latentes vão se tornando dinâmicos. Isso é conseguido apenas se ativarmos a Força de nossa Natureza Verdadeira (a Virgem interior), que nos faz semelhantes a Deus.

 

Esta condição de busca pela Semelhança a Deus pode ser alcançada se praticarmos aquilo que é ensinado por Schiller, o “irmão” de Goethe: “Olha a planta; o que ela é, Tu o serás, querendo. É isso”. É isso porque o reino vegetal é o mais virgem da natureza depois da Queda e porque o ser humano está em via de reintegração. Por isso, todo jardim conserva alguma coisa do Jardim do Éden e pode servir de biblioteca ao ser humano que aspira à Salvação. Esse ensinamento também foi dado por Max Heindel, quando diz que o ser humano é uma planta invertida. Entre a Sala Leste (Lugar Santo) e Oeste (O Santo dos Santos), do Tabernáculo do Deserto, havia um véu onde estavam bordados dois Querubins segurando flores, revelando que apenas pela pureza (veja que a flor é um órgão sexual, isento de paixão), que se poderia entrar no Santo dos Santos e contemplar a Glória de Shekinah.

 

Mas como se pode reconquistar a pureza do reino vegetal? Por constrições e expansões alternadas. Como o crescimento de uma planta é manifestação de duas tendências – vertical e horizontal – agindo alternadamente, de modo que a primeira impelia para cima, e a outra se efetue o desdobramento, também a metamorfose psíquica se realiza por constrição da tendência expansiva. O resultado é uma elevação, seguindo-se de uma expansão no novo plano atingido pela elevação, seguindo-se de restrição, da qual resultará nova elevação, e assim por diante. É a lei da metamorfose, constatada e estudada por Goethe no reino vegetal; é também a lei da transmutação das forças psíquicas – a do “caminho apertado” ou da Cruz – no reino humano (Anônimo).

 

É necessário, pois, restringir ou canalizar muitas de nossas tendências automáticas (lucíferas) que visam o choque de opiniões e a separatividade (egoísmo), para que haja uma elevação da consciência. Após o período de frutificação ou floração de uma planta (etapa horizontal da Cruz ou expansão), deve-se realizar a poda das folhas e ramos inúteis, para que a planta “renasça” e tenha longa vida (etapa vertical da Cruz ou elevação por constrição). Se não aprendermos a dominar nosso eu inferior (nossa personalidade), não acumularemos poder anímico para elevar o Espírito na realização dos verdadeiros voos espirituais.

 

Este foi o primeiro requisito para realmente poder dominar a arte de sair conscientemente do Corpo Físico. Não é seu único fim. Há também a necessidade da Força moral ou casta que se acumula quando se leva uma vida espiritual verdadeira. Essa Força lhe servirá de base para poder enfrentar todos os desafios contidos nos planos internos e aqui no estado de vigília, inclusive vencer o guardião do umbral, uma entidade que constitui a soma de todas as mazelas que fizemos de todas as encarnações. Além disso, para se assimilar o conhecimento e as lições sem o uso do cérebro, faz-se necessário muito poder anímico.

 

O segundo requisito é a intenção. Ninguém melhor do que o único e verdadeiro iniciador para poder revelar qual é a intenção que se deve ter para poder sair do Corpo conscientemente: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me. Porque, qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará (Lucas 9: 23-24). Conforme trilhamos o caminho que nos permite extrair a quintessência diária de nossas experiências (pelo exercício de retrospecção), aprendemos a constringir nossa natureza decaída (a Prostituta da Babilônia). Estas energias que eram perdidas serão elevadas até o nível de Natureza Divina ou Santa (a Virgem Imaculada).

 

Os Puros verão a Deus (Mt 5; 8), disse o Cristo. Obediência, pobreza e castidade espontâneas, brotarão no coração do discípulo. A convicção do propósito da vida dará iluminação interna, cheia de tolerância, paciência e firmeza. Muito diferente da convicção da natureza decaída, que é curiosa, agitada, contestadora, agressiva, fanática e que visa conquistas a todo custo. Enquanto estes últimos agem “de pé”, os primeiros permanecem “sentados”, pois já encontraram a Vida de sua vida. Portanto, amigo leitor, a intenção, de quem quer verdadeiramente sair do Corpo conscientemente, é senão o de servir o irmão necessitado. Leia o livro “O Trabalho dos Auxiliares Invisíveis” de Amber Tuttle, para ter uma ideia do tipo de serviço que se realiza nos planos internos e a única intenção destes auxiliares conscientes.

 

Com isso sendo vivenciado, a aura do discípulo começará a brilhar; esse brilho chamará a atenção do Mestre. Quando o discípulo está preparado, o Mestre aparece. Lembre-se, não existem instrutores do plano físico. Não há gente capacitada para esta sagrada tarefa. Além disso, não existe qualquer tipo de taxa para se conseguir o verdadeiro ensinamento. O único valor que se cobra é a própria moral espiritual do aspirante, que já deve ter encontrado a serenidade e o propósito de se sacrificar pelas dores da humanidade.

 

O último requisito poderá ser discutido agora. O Corpo Físico está preso no Corpo Vital por sete pontos. Um em cada mão (dois); um em cada pé (dois) um na cabeça, um no peito (mesmo local onde Cristo recebeu a Chaga pela Lança) e um que é particular em cada um. Será revelado a nós apenas quando tivermos o mérito espiritual para isso. Este é revelado pelo Mestre.

 

Veja, querido leitor, que a capacidade de sair do Corpo seguramente e com consciência não é algo simples. Não podemos deixar de responder o motivo pelo qual as pessoas que saem do Corpo Físico inconsciente e involuntariamente, não estão arriscadas a terem problemas espirituais. A resposta é simples: do mesmo modo que uma criança não possui ainda um Corpo Vital separado até os sete anos de idade e, por isso, todos os processos do Corpo Vital são feitos pelo Corpo Vital da Terra, a pessoa que sai inconscientemente do Corpo Físico à noite, está protegida por estruturas do Corpo Vital e de Desejos da Terra. Até que tenha total domínio de seus corpos, aprenda a obediência espontânea, e tenha acumulado poder anímico suficiente, seus voos de alma serão protegidos e inconscientes. Caso a pessoa queira se aventurar a sair do Corpo sem esta estrutura e caminho descritos pelo presente, por meio de exercícios ou de pessoas que se dizem mestres (e que inclusive cobram por isso), saiba que há grande risco de se adquirir doenças e obsessões espirituais em longo prazo. Mas, novamente, pedimos que sua própria lógica e discernimento seja seu verdadeiro guia.

 

Que as rosas floresçam em vossa cruz

 

16 de janeiro de 2014.

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar