Get Adobe Flash player

Para falarmos de caminho, desenvolvimento e crescimento espiritual é necessário nos posicionarmos no tempo da evolução e assim conseguirmos chegar a entender o processo da espiritualidade. Voltando um pouco ao túnel do tempo, antes que começasse a nossa jornada evolutiva. Nós como Espíritos Virginais fomos diferenciados de Deus (Pai-Mãe) do nosso universo como chispas de uma chama, e com todas as potencialidades latentes iguais a do nosso Pai. Em Gênesis 1:27: “E os Elohim formaram o homem a sua imagem e semelhança”. E ainda recebemos de presente o poder da Epigênese, que é a livre vontade de criar algo inteiramente novo. Sendo a Epigênese essencial ao progresso evolutivo. Mas, ainda não possuíamos consciência própria e poder para estar usando esta vontade. Precisávamos trabalhar muito para desenvolver estas potencialidades latentes em nós e atender ao nosso destino que é o retorno a casa do Pai como: Divinos e Criadores de Universos. O primeiro passo para nosso desenvolvimento espiritual foi a construção dos corpos. Durante o período da involução, sob a orientação de grandes Hierarquias Criadoras, estávamos empenhados em desenvolver os nossos corpos densos, vital e desejos. Mas tínhamos uma grande vantagem na construção deste tríplice corpo. Éramos possuidores de três grandes forças primárias: a força do Espírito Divino que é a Vontade, princípio intelectual; a força do Espírito de Vida que é a Sabedoria, amor, imaginação, princípio da intuição e, a força do Espírito Humano que é Atividade, fecundação, princípio de crescimento. Toda a consciência nesta época era voltada para os mundos espirituais. E assim trabalhamos no desenvolvimento desses corpos. Porém, antes que tirássemos algum proveito destes corpos, era necessário ligá-los diretamente com o Ego, que é o Espírito. Isto só foi possível por intermédio do terceiro veículo que é a mente. Ela seria o elo entre o Espírito e os seus três veículos (Corpo Denso, Vital e Desejos). Portanto, a Mente é o CAMINHO ou a ponte, a única via que transporta a essência da alma, isto é, o caminho pelo qual depende todo o desenvolvimento do Espírito, e sem este elo não poderemos desenvolver nenhuma atividade espiritual. Mas a verdadeira espiritualidade não é uma coisa fácil e jamais será adquirida da noite para o dia e ninguém a receberá como um “dom”. Teremos que trabalhar para merecê-la. É de vital importância lembrarmos que no princípio todos tivemos um início idêntico. E o que somos hoje é a soma de tudo o que realizamos em vidas passadas e que as nossas oportunidades ou merecimentos hoje são exatamente o que merecemos. Este crescimento se adquire por meio de muito trabalho, perseverança, sofrimento, auto sacrifício e muito mais pelo serviço amoroso e desinteressado aos demais. E uma vez escolhido a aspiração espiritual devemos seguir em frente e não poderemos mais voltar atrás. Muitos estudantes que se interessam pelo caminho oculto ao invés de trabalhar e buscar o conhecimento que os ajudaria a “viver a vida” acabam por ficar esperando que este resultado lhes chegue numa bandeja de prata. Outros desenvolvem muito o lado intelectual e esquecem que, se colocar em prática o mínimo destes conhecimentos é de um valor fundamental para a humanidade. Lembrando que a intelectualidade não tem nada a ver com espiritualidade. Se durante nossa vida terrena não conseguimos cumprir fielmente os nossos pequenos afazeres, como muitas vezes cuidar dos nossos próprios filhos que colocamos ao mundo; então como esperar que fôssemos fiéis também na grande obra espiritual do nosso Pai. No cap. 13 da Primeira Epístola de Paulo encontramos o seguinte: “Ainda que eu conheça todos os mistérios e toda ciência... se não tiver Amor, nada serei”. Outro ponto importante encontramos no Evangelho de Mateus Cap. 6,24: “Ninguém pode servir a dois senhores, porque, ou odiará a um e amará o outro, ou dedicar-se-á a um e desprezará o outro”. Isto mostra que o ser humano deve através de um firme propósito estabelecer o caminho que irá satisfazer o coração e a mente. Onde a mente será auxiliada pelo intuitivo coração. Max Heindel diz no Conceito Rosacruz do Cosmos: “Não andemos de uma escola a outra, de uma ordem a outra ganhando um pouco aqui e um pouco lá. Tenhamos presente uma só direção como nosso objetivo”. Existem seres humanos que se isolam em orações e meditações durante toda vida e esquecem que no mundo lá fora, há nossos irmãos que estão sofrendo a espera de ajuda. Certamente teremos feridas neste caminho, mas se nos conscientizarmos que depois da dor e do sofrimento tivermos aprendido a lição, estaremos desenvolvendo a compaixão, a coragem, a tolerância e o autodomínio. Lembremos sempre que quando a lição é aprendida o ensino será suspenso e passamos para outra etapa de aprendizado. Se observarmos a vida de nosso Salvador - Cristo - veremos que não teve uma vida de reclusão. Ele não se escondeu do mundo, mas sim se doou para salvar a humanidade. Existe prova de amor maior do que a de entregar sua própria vida para salvar a humanidade. Uma coisa é certa, o fator determinante para a realização do trabalho espiritual ou material na nossa vida será a nossa atitude em executá-lo. Mas, como buscar este caminho para o crescimento espiritual? Em primeiro lugar devemos ser determinados, decididos e prontos para agir no caminho escolhido, pois quando estamos galgando a vida superior seremos observados por todos que nos rodeiam. Como disse Jesus Cristo: “O céu deve ser tomado de assalto”. Não devemos ter pressa, lembremos que a Natureza não dá saltos. O crescimento deve ser gradual, lendo, porém seguro daquilo que estamos praticando. Max Heindel deixou alguns exercícios para que possamos nos harmonizar com as leis cósmicas e trabalhar no crescimento da alma como, retrospecção, concentração, meditação, discernimento, contemplação e adoração. E se praticarmos sempre com maior intensidade e amor, estaremos nos esforçando para sermos sempre servidores no caminho da espiritualidade. Devemos lembrar que o desenvolvimento do Corpo Vital é marcado pela repetição de coisas boas. É por isso que devemos ater a praticar os bons hábitos diariamente para que possamos atuar sobre o Corpo Vital e educá-lo. E depois que formado um bom hábito, fica mais fácil praticá-lo. Vamos aproveitar as oportunidades dadas por Deus e trabalhar para que possamos transformá-la na construção do nosso Corpo-Alma. No Conceito Rosacruz do Cosmos encontramos o seguinte: “Nada realmente valioso se obtém sem esforço. Nunca será demasiado repetir que não existem coisas como os dons e a sorte. Tudo que possuímos é resultado de esforço”. Ele ajudará e abençoará a todo verdadeiro investigador que deseje trabalhar pela Fraternidade Universal, pois “Cristo mesmo preparou o caminho para quem o deseje”. Nos últimos versos do poema Credo ou Cristo podemos encontrar a chave para nosso progresso dado por Max Heindel: “Há uma só coisa que o mundo precisa saber, há um só bálsamo para toda a humana dor,/ apenas um caminho que conduz ao alto céu,/ e esse caminho é a COMUNHÃO e o AMOR”. “Que as Rosas Floresçam em Vossa Cruz”

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar