Get Adobe Flash player

A cada ano, um novo impulso de vida inicia seu trabalho e pode ser facilmente percebido por pessoas que possuem algum nível de espiritualidade. Um nítido e belo desabrochar da natureza ocorre na etapa mais santa do ano. Este trabalho garante a continuação e evolução da vida terrestre.

Apesar de maravilhoso, tal fato não deveria ocorrer assim. Em verdade este impulso deveria ser fornecido pela própria humanidade. Mas por negação e prioridade dos interesses pessoais, decidiu não exercer sua função Divina. Deus, então, “amou tanto a humanidade que entregou seu Filho único ao mundo não para julgar, mas para que o mundo seja salvo por ele”. Assim, todo ano o Filho retorna a Terra e inaugura um novo impulso de vida, que é Sua própria vida. Com isso, a Terra permanece flutuando no espaço e a humanidade tem mais uma chance de despertar sua consciência.

A culminação desta vida espiritual ocorre por ocasião do Natal e constitui uma condição especialmente favorável para o estudante esotérico que deseja conhecer sabedoria e disciplina, e assim, penetrar as sentenças profundas e adquirir sensatez. “Sigamos a exortação de Paulo, Cap. 12 aos Hebreus, atirando à distância toda carga embaraçante, como fazem os indivíduos que correm numa competição. Batamos no ferro enquanto ele está quente. Isso significa que devemos, nessa época do ano, concentrar todas as nossas energias em esforços espirituais para colher, o que não conseguiríamos obter em nenhuma outra ocasião”. Em outras palavras, se o aspirante souber aplicar sua Epigênese nesta época, poderá alcançar um status espiritual maior e aumentar seu circulo de influência, de modo a se capacitar na vinha do Senhor.

As Escolas de Sabedoria Ocidental promulgam que há no Universo um influxo contínuo de causas novas e originais. Mas para que possa ter algum efeito sobre sua vida, deve esforçar-se para responder a esse influxo. O conhecimento desta força é o primeiro passo para sair do estado de escravidão mental, condicionada a responder redundantemente aos eventos da vida cotidiana. A Epigênese é exatamente a liberdade de movimentar o influxo e inaugurar algo inteiramente novo e não escolher entre dois cursos de ação pré-determinados (seja por destino ou condicionamento). Não significa sair do cotidiano, mas responder a ele de modo totalmente novo e consciente.

Durante a época santa do ano, o aspirante deve ir além da inauguração de causas novas para sua vida, e intencionalmente afinar sua vida a impulso Crístico que estão na atmosfera terrestre e podem ser usadas para adquirir sabedoria e se aproximar DeusO período santo inicia no Equinócio de Setembro e termina no Equinócio de Março.

Neste período, há mais material espiritual disponível para construção de corpos espirituais e todas as vezes que o aspirante doa um pedaço de si mesmo junto com a uma boa ação, seu Corpo-Alma, que é constituído pelos éteres superiores (de Luz e Refletor), aumenta. Doar a si mesmo, ou doar seu próprio corpo para alimentar alguém faminto, é imitar continuamente a Santa Ceia do Senhor.

Entenda que a expressão corpo e fome são linguagens figurativas. Doar a si mesmo implica necessariamente em um sacrifício de algo que possui intenção pessoal (figuramente expressado pelo corpo que é dado em alimento) para auxiliar alguém que necessita (que tem fome). Por exemplo, um pai que sacrifica uma hora de trabalho para educar seu filho; um amigo que sacrifica uma hora de diversão para visitar um enfermo no hospital; alguém que sacrifica uma hora de descanso para ensinar. Cristo Jesus forneceu claros exemplos da fórmula da Epigênese e de como o aspirante pode construir o Corpo-Alma: “Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era estrangeiro, e me hospedastes; Estava nu, e me vestistes; adoeci, e me visitastes; estive na prisão, e fostes me ver. Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos e fizemos todas estas coisas? E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes” (Mateus Cap. 25).

Por meio da atenção e devoção integral a verdadeira necessidade do outro, é possível responder de modo original ao impulso de vida que inicia no Equinócio de Setembro. Atualmente é o éter Crístico que mantém a Terra flutuando no espaço, porém, lembremo-nos que se quisermos apressar o dia de sua libertação, devemos desenvolver em número suficiente nossos próprios Corpos-Alma até ao ponto em que possamos manter a Terra flutuando. Dessa forma, poderemos assumir nossa própria responsabilidade de dirigir nosso próprio planeta, e libertar nosso Salvador, o Cristo, das limitações da existência física.

Que o aspirante sincero possa se esforçar como nunca, para inaugurar novas ações na direção de construir seu Corpo-Alma. E que possa aproveitar a etapa mais santa do ano para este propósito.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar