O Pão de Vida que Cria e Alimenta a Alma

Filosofia | 14/04/2020

Foi a dor miraculosa

Que nos veio sublimar,

Transformando numa rosa,

Nossa alma aos pés do altar.Hino Astrológico de Peixes

Com a globalização, atualmente podemos desfrutar de uma diversidade de alimentos cultivados em diferentes partes do planeta e saciar nossos apetites, mas

“E Jesus lhe respondeu, dizendo: Está escrito que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus.” Lucas 4:4

Então não só o corpo mas a Alma e o Espírito também devem ser saciados.

Mas, o que vem a ser fome de Alma? E o que é a Alma?

A Filosofia Rosacruz nos ensina que a Alma é o alimento do Espírito e que ela se constrói pela assimilação das nossas experiências nos Corpos Denso (físico-químico), Vital (etérico) e de Desejos (sentimentos e emoções). Portanto, uma boa perspectiva é entender a fome de Alma como um sinal de que o Espírito está desperto, necessitando se nutrir.

Mas como saber se estamos de fato despertos? O que fazemos em nosso cotidiano em prol do Eu Superior? Pode haver espaço para o Sagrado quando a Mente se divorcia do Coração?

Tais questionamentos são tão profundos e influentes para a peregrinação do Espírito que Max Heindel nos explica que, do ponto de vista espiritual, a Primeira Guerra Mundial tinha como propósito criar em nós a fome de Alma.

“Eis a origem da grande guerra que recentemente nos assolou. Tem o propósito de desviar o olhar da busca pelo pão, pelo qual muitos morrem, e criar em nós a fome da alma. Assim, a atenção é deslocada das coisas materiais para as espirituais. “(…) as lágrimas derramadas a cada morte servem para dissolver o véu que esconde o mundo invisível da nossa atual visão. A profunda saudade e a tristeza pela partida dos entes queridos dilaceram as linhas sutis do véu que separa ambos os lados. Algum dia, não muito distante, o efeito acumulado de tudo isto revelará a inexistência da morte.” Ensinamentos de um Iniciado, Capítulo X – Max Heindel

É dentro dessa perspectiva que o filme O Sacrifício parece ter sido construído, pois nele conhecemos a história de Alexander, um jornalista e professor de estética desiludido com a humanidade que, após a eclosão da Terceira Guerra Mundial, se oferece em sacrifício para “tudo voltar como era antes” e se libertar do pavor do iminente desastre nuclear.

Tal fato nos demonstra que, muitas vezes, apenas os desastres e o sofrimento podem despertar nosso Espírito e nos tornar sensíveis ao clamor da alma por algo que possa finalmente alimentá-la, direcionando nossos esforços para as esferas celestiais e alimentando o desejo de retornar à casa do Pai.

Nesse sentido, para ajudar a meditar acerca do tema e sobre a nossa conjuntura atual, sugerimos a leitura da análise do filme Bab’aziz – O Príncipe que contemplava a sua alma e o assista na íntegra.

Além disso, aprofunde o estudo assistindo os seminários rosacruzes que trabalharam o tema Alma em 2019: Diferentes perspectivas sobre a Alma.

 

Posts Relacionados:

Tudo vale a pena se a alma não é pequena

A relação entre Corpo, Alma e Espírito)

É com muita Fé, Esperança e Amor que concluímos desejando que Cristo nasça dentro de ti e QUE AS ROSAS FLORESÇAM EM VOSSA CRUZ!

Copyright © 2018 Fraternidade Rosacruz - Sede Central do Brasil. Todos os Direitos Reservados.

X
%d blogueiros gostam disto: