O toque, a sabedoria da pele, e as relações humanas

Saúde, Sem categoria | 13/12/2019

A pele e o sistema nervoso central originam-se da mesma camada embrionária, o Ectoderma, sendo a pele considerada como  a porção exposta do sistema nervoso . O movimento transformador da pele é imenso. Para termos uma ideia dessa capacidade, a cada quatro horas, aproximadamente, a pele forma duas novas camadas de células. Além disso, as células que se desprendem da pele e caem por terra a uma razão de mais de um milhão por hora. Isso nos dá uma noção do quanto o movimento é algo realmente relevante para a vida e de como estamos em constante renovação.

O olhar sobre essa  sabedoria divina, presente no corpo humano, e a noção dessa intensidade de movimento, que acontece no maior órgão do nosso corpo, são capazes de gerar uma consciência, para quem tem olhos de ver, que faz toda a diferença na forma de encararmos a vida e de realizarmos nossas escolhas, no sentido de buscarmos nos renovar e nos livrar de estados obsoletos. O que vai ao encontro do que o momento astrológico atual nos pede, com o ousado e transformador planeta Urano transitando pelo fixo e apegado Signo de Touro, pelos próximos sete anos!

O tato é o mais antigo e sensível dos nossos órgãos dos sentidos, nosso primeiro meio de comunicação, nosso mais eficiente protetor, além de desempenhar importante papel tanto em processos fisiológicos, como dormir ou  acordar, e até mesmo na forma como sentimos ou amamos. Portanto, está intimamente relacionado ao desenvolvimento do nosso Corpo Vital, a nota chave do caminho evolutivo da Filosofia Rosacruz.

A forma como olhamos as pessoas, o som da voz e até mesmo as obras de arte, que trazem consigo presença e de inteireza, resultam em acontecimentos muito semelhantes às do toque na pele, quando praticado com essas mesmas qualidades. Um objeto representado numa obra de arte pode chegar a  tocar o observador com uma qualidade ainda superior do que o próprio objeto “in natura” 

A possibilidade de relação humana, descrita na obra de Martin Buber “Eu e Tu”, também é muito influenciada pela presença dos toques cutâneos recebidos pelo ser humano. Esse “e ” da relação “Eu e Tu” é o que anima as vidas vividas com ”V” maiúsculo, ou seja, vidas que valem a pena serem vividas. Vale lembrar, porém, que Buber descreve esse tipo de relações como efêmeras e até milagrosas, já que estamos totalmente imersos no mundo  Eu – Isso. 

O papel do toque cutâneo na saúde física e anímica é bem relatado no livro “Tocar, o significado humano da pele“, de Ashley Montagu. A importância do toque no desenvolvimento dos mamíferos é descrita, neste livro, em vários estudos, por meio dos quais podemos nos certificar de que o ser humano, especificamente, é altamente impactado tanto pela qualidade quanto pela quantidade de toques recebidos desde o nascimento. 

“A criança aprende a desembaraçar-se no mundo-ambiente proporcionado por sua mãe.”

Esses impactos, que se refletem tanto a nível fisiológico como comportamental, têm papel determinante no desenvolvimento saudável do indivíduo. Evidências do  funcionamento fisiológico saudável do corpo humano são reveladas, por exemplo, a partir da imunologia cutânea, da qual fazem parte especial o grupo de células chamadas Linfócitos T, principais responsáveis pelas respostas alérgicas cutâneas e os Linfócitos B, que produzem anticorpos contra seres invasores. Quando observamos manifestações cutâneas alérgicas ou as decorrentes de estados psicológicos ou neurológicos alterados, bem como uma pele que se apresenta saudável aos nossos olhos, vemos claramente que:

“A pele é um espelho do funcionamento do organismo”.

Há outra questão fundamental, apontada nessa obra, que também é relatada pelo filósofo  Bertrand Russel: o tato é o que nos confere a noção de realidade. 

Muito relevante para refletirmos sobre o mundo contemporâneo, imerso na virtualidade de relações intermediadas por máquinas, e suas consequências para as doenças que mais prevalecem na atualidade, como ansiedade, depressão, síndrome de pânico e Alzheimer.

 Entre todos os estudos comportamentais descritos no livro, chamam a atenção a comunidade dos Esquimós, entre os quais os bebês recebem grande quantidade de toques e de contato íntimo com suas mães, por tempo prolongado. Isso lhes proporcionou a noção de que não existem desconhecidos, apenas amigos que ainda não foram descobertos. Um verdadeiro exemplo de fraternidade!

Por uma estudante rosacruz

“Que as Rosas floresçam em vossa Cruz !”

Referência bibliográfica:

 Tocar, o significado humano da pele  de Ashley Montagu

Vídeos relacionados:

Copyright © 2018 Fraternidade Rosacruz - Sede Central do Brasil. Todos os Direitos Reservados.

X
%d blogueiros gostam disto: